sexta-feira, 16 de junho de 2017

Livros: As crônicas das Irmãs Bruxas II e III

Olá!






Esse post irá se dedicar a falar sobre os volumes 2 e 3 da trilogia Crônicas das irmãs Bruxas. Para ler a crítica do vol. 1 - Enfeitiçadas, clique aqui.

ALERTA! CUIDADO! ATENÇÃO!

Prezadas e Prezados, eu gosto de escrever de forma livre minhas opiniões sobre livros e outras coisas então não estou afim de ficar me podando para não mandar Spoiler. Logo, se você não quer saber de algo sobre a continuação dessa trilogia PARE AGORA de ler esse texto.

Amaldiçoadas

Eu super admito que apenas saquei que o livro Enfeitiçadas tinha continuação quando terminei o livro e vi que tinha umas páginas a mais e... Ahhh tem história d Cate no convento *oh my godiii* xD
Li esse trechinho na velocidade da luz e saí correndo para arranjar o livro todo para ler logo.

A verdade é que o fim do livro 1 me pegou desprevenida. Eu não esperava que ela sacrificasse tudo e fosse pro convento por causa das irmãs. Mais ainda, não esperava que ela não explicasse nada pro coitado do Finn - depois dele ter feito tudo que combinou com ela.

Mas aí a história se desenvolve dentro do que eu esperava. O Finn parece que ta cagando para ela - mas não esta - e depois dos momentos de tensão eles estão de volta s2 e aí é super fofo e eles unidinhos para proteger a Cate e as meninas.

A vilã da história e a boazinha toda poderosa frágil em oposição no convento me soou muito como clichezão - sorry, mas  realmente achei mega previsivel. Pior é que por razão alguma a Cate do nada confia na boazinha mas continua meio que se colocando na mão da OBVIAMENTE mana do mal.

Enfim, achei interessante ter rachado o convento entre as partidárias e principalmente o desfecho da história - cada lado fazendo o que achava correto. Coerente com a personalidade das personagens - e mesmo com a suscetibilidade a manipulação destas.

Mas acho que o que me surpreendeu mais foi ambas as missões "darem certo" e quem se fodeu de novo foi o relacionamento Finn e Cate. Genteee, acho que nunca vi um romancinho acabar de um jeito tão triste para um dos lados sem que tenha existido morte nem traição (dos envolvidos). Chocada com a maldade da Maura - aquela vadia traidora.

Mas uma crítica relevante: a Maura é descrita como a mais bonita, a mais agradável para os outros e a mais incontrolável. Contudo, é exatamente ela que se torna a boboca manipulável e fraca no convento. Tem momentos que eu tenho raiva dela mas em muitos momentos me dá raiva da Cate que SABE que estão se utilizando das brigas entre elas para ganhar poder e mesmo assim ELA CAI nessa.

====>>> Tá, depois que a Maura cagou no pau apagando a memória do Finn eu larguei de mão  e interiorizei que ela iria se dar muito mal no final das contas se afastando assim das irmãs e SABENDO do conteúdo da professia <<<====

Predestinadas: 

A ida para o último volume da série foi com bastante resistencia. Eu tentei ao máximo prolongar a leitura. Simplesmente não queria que o livro, a histórias, a magia acabassem.

Nesse volume a irmã mais nova Tess ganha muito mais destaque - afinal ela é o oráculo e agora todo mundo sabe disso. O que fazer com um bichinho de 12 anos, morrendo de medo de ficar louco, cheio de poder e tendo várias visões (francamente, muito previsíveis)?
Lógico que a irmã Inez, vulgo nossa antagonista, usou de todas as artimanhas que podia para separar ao máximo as 3 irmãs.
Nesse livro cada uma fica com seu grupo: Maura se alia a uma das resgatadas cheia do odio no coração de Harwood, Tess tenta mostrar que é muito madura e independente se afastando de Cate, e a Cate mostra que é uma mulher do cacete: mesmo com o coração quebrado por saber que o cara que ela ama (e ia casar) não lembra dela, a vida continua, existem prioridades e uma futura guerra contra as bruxas na esquina. Ela não pode ficar assistindo e de braços cruzados!

E a Cate mostra que é exatamente a protagonista corajosa do inicio da trilogia: se arrisca, vai atras, faz alianças e abre mão das vontades dela muitas vezes em prol do bem maior - segurança das irmãs/gente pobre e doente/ bruxas.

E achei coerente o fim do livro - não tudo, fiquei bem incomodada com a aceitação OFICIAL das bruxas na sociedade. Nada contra pessoal mas ficou MUITO forçado! Pessoal tava tacando fogo ontem nas bruxas. A simpatia pode brotar em certas pessoas pela ajuda no incêndio mas não a ponto de irem para o outro extremo. Acho que valia o Sean Brennan ter falado: farei o possivel para a aceitação pela sociedade da existência de vocês e para modificar a má impressão criada pelos irmão. Já era uma ótima!

O que eu falava sobre coerencia foi sobre a Cate e o Finn xD After all, o cara não lembra de nada mas esta se apaixonando de novo por ela mas isso não significa que eles já vão agora casar e tudo mais. Não, a Cate na moral nem tava pensando nisso xD Pensando em ser enfermeira e tudo mais. Eu achei ÓTIMA essa parte - não me lembro de uma protagonista parecer se importar mais com outras coisas que o seu relacionamento.

Por isso: PALMAS ALTAS para a escritora Jessica Spotswood por criar uma história que mesmo passando por cliches inescapáveis CONSEGUIU fugir dessa obrigatoriedade de colocar a mocinha ansiosa pelo casamento com o galã. A protagonista é sem graça e tudo bem. Ela podia ter escolhido o galã e escolheu o nerd. E tudo bem tudo isso, porque no final das contas, mesmo quando ele se esqueceu dela, ela CONTINUOU VIVENDO!!! Porque é assim a vida!

OK. Eu realmente gostei muito mesmo dessa trilogia e recomendo muito muito muito mesmo.

Agradeço ao pessoal do livros viajantes II por ter me aceito no grupo e me feito encontrar essa trilogia - cuja a capa e sinopse me afastaria.

Pessoal: vençam os preconceitos dos títulos dos livros, da capa com carinha de livro de menininha e sinopses vagas. Os livros SÃO bons.

Até!







segunda-feira, 12 de junho de 2017

Viagem: Mochilão Marrocos

Olá!

Praça Jemma El fna - Marraquexe 

     Passando (e muito) desde que voltamos da nossa viagem resolvi começar a escrever os posts dessa nossa última viagem.

Souk em Marraquexe

Primeiramente, por que Marrocos? Porque gostaríamos de conhecer um país com cultura árabe e não estivesse em guerra xD E também porque o Marrocos é um país de extremos: deserto, neve, florestas e cidades desenvolvidas (e muitas subdesenvolvidas).

Nós fizemos nossa viagem no mês de Fevereiro de 2017 de 16 dias, sendo que 2 dias nós ficamos em Madrid e 14 dias nós rodamos de carro parte do Marrocos.

O nosso roteiro inicial foi o seguinte:


04/02 - Rio x Madrid
05/02 - Madrid
06/02 - Madrid x Marraquexe
07/02 - Marraquexe
08/02 - Marraquexe ( noite em Ait ben haddou)
09/02 - Ait ben haddou
10/02 - Ourzazate / Boulmane Dades (noite em Tinghir)
11/02 - Tinghir / Todra  (noite em Tinghir)
12/02 - Merzouga ( "uma noite no deserto)
13/02 - Merzouga
14/02 - Floresta do Cedro Gouraud / Ifrane / Fez
15/02 - Fez
16/02 - Fez
                                                                                    17/02 - Chefchaouen
                                                                                   18/02 - Chefchaouen (noite em Tanger)
                                                                                    19/02 - Tanger x Madrid / Madrid
                                                                                    20/02 - Madrid / Madrid x Rio

Quero dar uma boa ênfase que esse foi nosso roteiro inicial porque nós mudamos diversas coisas durante a viagem - mais por necessidade / dificuldade de encontrar hospedagem / cidade chata etc.
Deserto de Merzouga

Gargantas de Todra
Eu pretendo dividir em posts cada narrativa de cada lugar mas preferi fazer esse primeiro post para dizer que é muito legal sim o passeio de carro pelo país mas que eu NÃO recomendo que façam o roteiro nessa ordem que nós fizemos.


Eu sugiro fortemente que as pessoas cheguem por Tanger e saiam por Marraquexe pois do contrário pode rolar uma frustraçãozinha, como  aconteceu conosco, de que nós vimos o melhor do Marrocos no início e que grande parte da viagem não servia para nada.

Ifrane - A suíça marroquina

         Outra opção para quem quer fazer um roteiro parecido com esse é chegar direto em Fez e contratar o passeio com uma empresa que te leve de Fez a Merzouga e, depois, de Merzouga até Marraquexe. Não vai ter tantas paradas como se pode fazer quando se esta com carro mas a viagem acaba sendo menos cansativa (ninguém tem que dirigir) e mais segura, porque os guias resolvem tudo.

Floresta dos Cedros, Parque Nacional de Ifrane


Hospedagem:


Se estiver em casal, não tenha duvida: pegue Riads, que são pousadinhas super confortáveis, normalmente geridas por uma família, com café da manhã gostoso e limpeza.


Nós somente ficamos em hostel em Chefchaouen e nos arrependemos bastante porque passamos frio :p O outro hostel que iriamos ficar em Tinghir deu TANTA MERDA que eu vou fazer um post específico sobre isso futuramente. Na boa: em casal ou sozinho (mulher então...)

Fique em Hotel ou Riad que é mais seguro e sem estresses. Tem economia que sai caro.






Nossas hospedagens (mais do que muito recomendadas):

Marraquexe:
DAR TASNIME
27, Jbel Lakhdar, R'mila
Medina
Shakib é o host e é uma ótima pessoa. Os quartos são muito confortáveis, com instalações muito limpas  e aquecedor bom. O café da manhã é ótimo e o host orienta muito bem por onde ir e como viver naquela cultura tão diferente. O preço é justo e compatível com outras hospedagens. A localização é excelente - dentro da muralha mas não lá no meio da muvuca. 5 a 10 minutos de caminha do Riad até a Praça Jemma El Fna. Tem um terraço muito agradável!
A diária custou R$127,00 (sim, preço em reais).

Aib ben haddou:
MAISON D'HÔTES NOUFLLA
Rue Principale
45100 Aït Ben Haddou
Marrocos
Outra hospedagem maravilhosa. Cama confortável, café da manhã delicioso, aquecedor nos quartos e em áreas comuns eles colocavam um aquecedor portátil. O hotel tem serviço de restaurante e a comida é deliciosa e com preço muito bom. Nós tivemos 2 jantares maravilhosos aqui s2 O host é uma graça e sempre muito solicito (não me lembro o nome dele agora mas gostei muito dele).
O café é servido do terraço, de onde nós vimos um lindo por do sol s2
A diária custou R$99,00 (noventa e nove reais).

Tinghir:
Nossa hospedagem aqui foi abandonada por nós por desespero então não recomendarei. Colocarei os dados para que as pessoas NÃO RESERVEM essa hospedagem.

HIKE & CHILL HOSTEL
Hay Ihartane (old Jewish quarter)

Repetindo - NÃO. Esse não!

Merzouga: 

Nós fechamos 2 diárias com passeio com a empresa Marruecos con tus ojos. O Hamid é um fofo e nós ficamos amigos depois da nossa chegada (meio desesperada e antecipada) a Merzouga. Tanto ele como o resto do pessoal da empresa são muito legais.
A hospedagem é realizada no  Hôtel Nasser Palace, que é bem confortável e serve uma comida ótima! Para quem fecha o pacote o café da manhã e a janta estão incluídos.
Para entrar em contato com o Hamid eu utilizei o Facebook - mas pode-se ir direto para a página da empresa de turismo.
A Marruecos con tus ojos realiza exatamente o roteiro que eu sugeri ali em cima, chegando por Fez e depois seguindo para Marraquexe mas o mais comum é as pessoas irem e voltarem para a mesma cidade.
O passeio com a diária no deserto saiu 100 euros por pessoa.

Fez:
Riad Haj Palace - bem localizado, confortável e com uma limpeza ok. O host é muito simpático e há serviço opcional de jantar (que tem um preço que achamos alto mas acabamos pagando na primeira noite).
Como quando fomos eles eram novos e haviam quartos melhores vagos nós ganhamos um upgrade. o/
A diária custou R$ 92,00.

Chefchaouen: 

Riad Baraka - NÃO recomendamos porque achamos a host muito grossa (mesmo) e porque passamos frio a noite maaaas talvez nos dormitórios seja melhor - sei lá. É realmente bem barato e para quem não tem frescuras é de boa.
A diária custou 22 euros.

Tânger: 
Dar Yasmine
40 Rue Jamaa Lakbir, Tangier 90000,
Marrocos

Acomodação ótima, com um café da manhã muito bem servido no terraço. Localização boa para quem irá atravessar para a Espanha de barco e também para quem quer fazer um tour na cidade. A diária custou 40 euros.


Outra dicas são:
Museu de Marraquexe
-Fez é cidade para passear um dia (e olhe lá!) porque não dá para entrar na maioria das atrações porque não somos da religião, então o passeio por lá significa "comprar".
- Chefchaouen não é uma cidade tão azul como as fotos fazem você pensar que é. E também não é uma cidade com muitas coisas para fazer então 1 dias lá tá bem suficiente. Acho que 1 dia e 1 noite lá foram suficientes para nós, que na manhã seguinte fizemos uma trilha muito legal que é próxima a cidade.
- Assédio dos mercadores: acontece o tempo TODO! Então já vá vacinado: só olha muito ou pega a coisa para ver numa lojinha se você estiver disposto a uma longa barganha de pelo menos 20 minutos com o vendedor. E não, não adianta falar que você não quer - eles acham que é teatro.
- Atenção aos falsos guias! Em Marraquexe e em Fez diversos garotos tentaram atrair nossa atenção para "nos ajudar"a encontrar certo lugar. Esses garotos são pagos para levar pessoas a certas barracas de venda ou, na pior hipótese, te levam tão dentro da medina que você não vai saber voltar - então eles vão te extorquir para te levar para o lugar que te encontraram no início. Quase caímos nessa em Marraquexe mas, depois do susto, nosso host explicou que tínhamos que tomar cuidado aí nem ouviamos mais as pessoas falando com a gente.

Nos próximos post eu faço o relato detalhados da viagem.

Até!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Livros: O que há de estranho em mim

Olá!


CUIDADO!! ESSE POST PODE CONTER SPOILERS!! 

Esse livro, admito, me surpreendeu pois as primeiras páginas pareciam bem maçantes, muito dedicado aos pensamentos aborrecentes da protagonista. Estava esperando aqueles chiliques habituais e tudo mais quando.... Tudo mudou porque subitamente ela era uma adolescente com um problema sério mesmo - o pai deliberadamente escolheu largar de vez a responsabilidade dele de ser pai. 

E esse é um problema recorrente com pais na adolescência. Eles dizem que tentaram tudo, que fizeram de tudo, que tentaram conversar e que não sabem mais o que fazer ai... Seu filho é um rebelde e ele não sabe o que fazer então, porque não se livrar do incomodo de ter ele ali todos os dias te lembrando do problema que ele é. 

Cara, o livro é muito forte. Esse intro que eu fiz é apenas uma das maiores justificativas que os pais dão para "largar de mão". Se pai de adolescente é uma barra e acho que todo mundo deveria lembrar disso quando fica sonhando com aquele lindo bebezinho inofensivo. Crianças crescem e quanto mais consciência do mundo tem mas complicado se torna lidar com elas. 

Lógico que em diversas partes da história - que é fictícia - a protagonista demonstra que não sabe das coisas e que esta confusa e com medo mas acho legal que ela também tem consciência de que esta dando o melhor dela para se virar durante a adolescência - e também na situação bosta que o pai a deixou. 

Outro ponto que achei interessante é a resistência pessoas que obviamente precisam de ajuda. De fato, ser humano passa do lado, pode fazer algo, e escolhe não se dar ao trabalho porque é mais fácil, né? 

Por fim, a questão sobre internatos e tratamentos "de choque"e restritores da liberdade como métodos ressocializadores (ha ha, impossível não rir sobre COMO isolar pessoas irá para torna-las mais sociáveis - oi?). O tenso é a exposição desse tipo de método - que NÓS empregamos todos os dias em diversos países para tudo - mas que somente chama atenção quando são adolescentes nessas. [ prefiro não adentrar na discussão mas porque não questionar o sistema prisional? ] 

Gostei bastante do livro e super recomendo a leitura. Vença as primeiras paginas introdutórias que são beeeeem chatinhas que vale as reflexões que o livro provoca. 

Até!

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Cabelo: voltei para a selagem

Olá!

Post rápido e objetivo - porque é só uma atualização para quem acompanha o que eu tenho feito.

Há alguns meses eu tinha decidido - novamente - parar de realizar procedimentos que alisam o cabelo. Eu tinha fé que suportaria as agruras de meses a fio com o cabelo cheio e difícil de pentear mas falhei.

Foram 6 meses sem realizar procedimentos com fim de redução de volume e alisamentos mas eu não aguentei mais. O volume estava insuportável, era frequente a formação de nós horríveis e eu simplesmente não conseguia ficar apresentável (imagina bonita) com a aparência dele.

Aí busquei novos procedimentos que não detonassem tanto o cabelo mas que conseguissem manter eles mais disciplinados. A solução acabou sendo a selagem - que é procedimento que alisa o cabelo mas aos poucos o produto vai saindo e o cabelo continua disciplinado sem o efeito liso.

antes
depois  



lateral - para ver o corte 
Eu fique bem feliz com o resultado - veio aquela paz de conseguir pentear o cabelo - e logo após a primeira lavagem eu senti os fios mais disciplinados sem o efeito muito liso. 

baixinho mas com umas ondinhas

Não recomendo o procedimento para quem deseje o efeito bem liso - faça progressiva, não tem jeito, ou um definitiva. 

O procedimento foi feito em Tanguá - Espírito Santo; Pamela (027)99768-4668.

Até!

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Livros viajantes II: Enfeitiçadas

Olá!



Esse livrinho é da 4ª rodada dos livros viajantes - que na presente data ainda não aconteceu - mas eu antecipei a leitura já que é a rodada do Daniel e ele ainda tá lendo a casa dos espíritos.

O que posso dizer dessa nova trilogia que entrou na minha vida e já considero pacas?

É mais um livro com foco em meninas adolescentes, com romance adolescente e aquele pano de fundo mágico - mas saímos daquela realidade que já tinha cansado do homem do par romântico ser o todo poderoso, e as poderosas são as mulheres.

(tá que as poderosas são perseguidas e mortas então voltamos a estaca zero do poder feminino: mulheres precisam de um homem para se proteger e evitarem de serem julgadas como bruxas - tenham elas poderes ou não. )

Talvez meu tom ácido sobre o romance juvenil/ o homem que salva/assuste mas é que eu ando bem cansada dos autores usarem sempre a mesma fórmula.

Mas esse livro nem foi assim. Quando iniciei a leitura já estava revirando os olhos e esperando mais uma adolescente que tem tudo reclamando da vida, não tendo noção da sua beleza e vivendo em função dos seus suspiros pelo galã perfeito.

Mas a protagonista tem problemas reais - ela é uma bruxa, ela esta em idade de casar (o contexto da história seria o de uma sociedade com regras sociais/vestimenta/morais do séc. XIX), ela tem duas irmãs menores, que também são bruxas, mas como elas perderam a mãe, a protagonista tem a responsabilidade de zelar por elas. Se não bastasse tudo isso, ela tem os próprios problemas para conter a própria magia e definir seus próprios quereres.

Mas a história se diferencia do padrãozão recente - que fica lá focado no relacionamento amoroso - porque o foco da história é o dilema da protagonista quanto aos próprios quereres e seus deveres.

Li o livro em um dia - ansiosa para saber como iria acabar - e terminei o livro louca para pegar o volume 2 xD

E você, já leu esse livro? Esta interessado na coleção? Ou simplesmente gosta de uma história de magia? No caso da última resposta ser afirmativa - recomendo o livro.

Até!


terça-feira, 9 de maio de 2017

Viagem: Nápoles

Olá!



Nós apenas pisamos em Nápoles mas como valeu o passeio e nos impressionamos com a cidade, acho que vale um post.

Como contei no post que fala sobre a Costa Amalfitana (para ler, clique aqui) nós dormimos uma noite em Nápoles mas não exploramos a cidade nessa ocasião. Apenas descobrimos a ótima localização da nossa hospedagem ( bem próxima a estação Napoli Centrale) e que como a estação possui metrô, é um ótimo lugar para ficar.

A Hospedagem que ficamos (e recomendamos) é o  Bed and Breakfast Travelers esta localizado muito próximo a estação de trem e metrô Napoli Centrale, suas acomodações são novas e super confortáveis, além de ter um host muito educado e prestativo.

O preço pela diária foi 55 euros (nosso máximo costuma ser 50 para quarto privativo) mas a localização valeu muito a pena.
Para ver a hospedagem ou fazer uma reserva, clique aqui.

Essa hospedagem esta distante das principais atrações mas ainda assim recomendamos porque a cidade de Nápoles é conhecida por ser um pouco perigosa (até sabemos de um assalto violento com um conhecido) então é melhor não ficar perambulando muito como normalmente fazemos em cidade grande. Sugiro que ande de transporte público mesmo.


Roteiro 1 dia - Castel dell'Ovo / Museu Arqueológico de Napoli / Napoli Sotterranea / Foro Carolino

Nosso dia começou com nossa chegada de Capri de barca, então nós - empacotados e de mochilão - tentamos visitar o Castel dell'Ovo mas no dia que nós fomos estava fechado. Com o fail nós fomos até a estação central de trem para deixarmos as mochilas num locker (custou 5 euros cada mochilão) e seguimos para bater perna na cidade.

Pegamos o metro até a estação Museo mas... era o dia que ele estava fechado - puts - isso que dá mudar a programação no meio da viagem, passa despercebido um detalhe e... você perde a atração.

Mas não nos demos por vencidos e conseguimos fazer um passeio maravilhoso!

O tour da Napoli Sotterranea é muito legal! Você conhece os antigos depósitos de água, e que durante a guerra foram usados como abrigo anti-bomba. Depois você conhece os experimentos científicos que tem sido desenvolvidos no local. Descobre o antigo esconderijo de bebidas e pertences de valor de uma igreja antiga, percorre os corredores estreitos com a iluminação apenas de uma vela e no final visita o antigo teatro.

O custo do tour foi 10 euros mas eu não recomendo para pessoas com claustrofobia porque foi tenso para mim - eu gostei, deu, mas para alguém com mais fobia não vai rolar.

Na saída do tour passeamos pelas ruas até o  Foro Carolino - que é uma praça beeem grande e bonita - e nosso passeio terminou pegando a estação Dante e voltando para a estação central de trem.


Ficou o gostinho de quero mais e, acredito que para quem conseguir ver o Museu Arqueológico e o Catel dell'Ovo - e o Castel Nuovo - fecharia um bom roteiro de um dia por Nápoles.

Até a próxima!

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Livro: Dorothy tem que morrer

Olá!


     Ganhei esse livro da minha sogrinha no nosso amigo oculto de natal no ano passado. Já tava afim de ler esse livro desde que o vi numa livraria pq:
* primeiro eu amo o mundo de Oz (super fã mesmo).
*segundo porque com esse título QUALQUER pessoa que viu os filmes (sim, oS filmes) ou leu oS livros (sim galerie, existem VÁRIAS histórias do Baum sobre Oz, Ozma e outras aventuras da Dorothy).

   Me chamou atenção que a pobre e inocente e boazinha dorothy tivesse alguém que acha que ela TEM que morrer. Na hora: gente, o que rolou em oz? Toda vez que penso em Dorothy e a história de Oz, a imagem que me vem na cabeça é essa:

 
   Minha atenção (e acho que a de todo mundo) foi captada: Por que a missão da protagonista desse livro é destruir esse quarteto do amor e da virtude?

  Aí vem a esperteza da autora (e de muitos autores recentes) que tem desenvolvido histórias novas com um papel de fundo já pronto e acabado por outros autores. Tá mole né? Alguns recontam a história, outros mudam totalmente o sentido da história e outros contam histórias que teriam acontecido DEPOIS da história original (tipo os livros da série "O lado mais sombrio" que fala sobre o pós Alice no País das Maravilhas). A esperteza é que já existem autores em potencial porque normalmente são histórias consagradas e com vários fãs.

   A outra tendência é tornar o pano de fundo algo "mórbido" e totalmente diferente do mundo mágico, bonito e feliz que nos foi inicialmente apresentado.

  Com o mundo de Oz essa não é a primeira vez que se faz uma continuação da saga da Dorothy. Na década de 80 a Disney lançou o filme "Retorno a Oz" que contava a saga da Dorothy sendo convocada pelo Espantalho a voltar a Oz e ela sente que os amigos precisam de ajuda. A Dorothy e seus amigos são bomzinhos mas algo ruim surgiu novamente em Oz.
   O estilo adotado pela produção é bem sombrio e eu me lembro de ficar bem assustada com diversas partes - eu morria de medo da Princesa Mombi ou A princesa sem cabeça (como eu chamava).  Até a Dorothy era meio esquisitinha e os cenários ajudavam nessa imagem mais pesada.

  Mas a proposta do livro Dorothy tem que morrer vai além de deixar Oz mais dark. Oz não é mais a mesma e a culpa é da Dorothy  porque a Dorothy é uma ditadora má (believe me).

  A protagonista dessa história não é a Dorothy - ela é a antagonista. A protagonista é a Amy, uma menina também do Kansas mas com um histórico de vida bem ruim que envolve bullying na escola, abandono parental e alcoolismo na família. A menina não tem amigos e parece que todo mundo acha que ela é um desperdício de potencial. A narração sobre os sofrimentos da protagonista doi no coração pois ficou bem humano mas sempre tem aquele "quê" adolescente que cansa um pouco no desenvolvimento da história.

  Mas vamos pular para a parte de que ela, sua casa (um trailer) e sua ratinha são levados por um furacão para Oz. Parece repetido né? E eles caem em Munchkin land... tá, parece bem chato e repetitivo né?

  Juro para você que é melhor do que isso. Acho que a autora utilizou essa sistemática paralela para aumentar o choque com a nova Oz e justificar o título do livro. Não vou continuar desenvolvendo sobre a história porque perde a graça mas a narrativa se torna interessante, a personagem se questiona  com frequência sobre o que DEVE fazer e o que QUER fazer (algo que não ocorre na história da Dorothy, que é pura e sempre sabe como agir corretamente). A história traz bastante humanidade para a personagem.

  Infelizmente, a protagonista é uma adolescente e o foco do livro parece ser um público adolescente o que hoje em dia significa aqueles INSUPORTÁVEIS momentos corta climax dos rolinhos amorosos SUPER previsíveis apesar de advertências.

# Escritores e leitores do meu Brasil, PQ CARA*&$s continua-se matando aventuras dos adolescentes com romancizinhos? Que saco cara!

   Mas afora esse pedacinho do livro que é bemm chatinho, o resto da história é bem conduzida e vai amarrando o leitor. São muitas duvidas, não dá para confiar em ninguém e você quer saber o que acontece afinal de contas.

   Aí, você JURA que vai descobrir e.... acaba o livro. WTFFFF??? Ódio. Você descobre que é uma sequencia.


 
     Eu ando fugindo de histórias que se dividem em vários livros mas parece que tudo que se vende hoje em dia é assim. E, mais uma vez, estou aqui me roendo para saber: O QUE ACONTECE??

   Já deu para ver que eu RECOMENDO o livro mas existem advertências suficientes de que o público alvo é de adolescentes. Logo, você (adulto e jovem adulto) respire 10x nas partes dramático-adolescentes e sobreviva a isso que você gostará da história principal.

Até!