quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Viagem: Merzouga - uma noite do deserto

Olá!





Sem dúvida o ponto alto da viagem. As pessoas que conhecemos e o pessoal do tour foram as melhores de toda a viagem. Pessoal tranquilo e hospitaleiro.

Nós iamos ficar 2 noites mas em razão de acontecimentos no meio do caminho optamos por chegar antes e passar a terceira noite. O guia da empresa, Hamid, Marruecos con tus ojos ficou nos esperando próximo a cidade para nos guiar direto até o hotel (Hotel Nasser Palace). 

Nós reservamos o passeio com o Hamid ainda no Brasil e tudo foi conversado e acertado em português. O preço do nosso pacote foi diferenciado porque não envolvia o transporte e custou 100 euros (incluída hospedagem no hotel para 2 noites, noite no deserto, jantar e café da manhã). A noite e dia a mais que ficamos, bem como passeio, foi acertado depois. O Hamid tem perfil no facebook e também se comunica por whatsapp para deixar tudo marcadinho. Supeeer RECOMENDO fazer o tour com essa empresa porque além de muito responsáveis com a qualidade de todo o serviço (pré e pós passeio) é fácil se comunicar com eles (a equipe de forma geral entende e fala espanhol, alguns estão aprendendo português e o Hamid fala muito bem português). 


No hotel, como chegamos a noite, fomos direto jantar e a comida estava deliciosa. Depois do jantar o pessoal se juntou em volta da lareira e começou a tocar tambor. Lógico que eu e Daniel nos juntamos rapidinho. Fizemos amizade com a brasileira Vivi (que trabalha no marruecos con tus ojos), com as espanholas Sara e, contatos que mantivemos após a viagem. 


A hospedagem é confortável e é na beira do deserto. A noite, mesmo dali do terraço do hotel, é lindissima! 
No dia seguinte nós fizemos um passeio de manhã para conhecer o souk de merzouga com a Vivi (fomos com o nosso carro mesmo) e almoçar pizza berbere ( tem algum tempero na pizza berbere que nós não gostamos). 
Para constar: souk de cidade grande ou pequena, da na mesma. As pessoas veem que somos estrangeiros e ja começam a seguir e falar que serão nossos guias. Um saco! Mas a Vivi conseguiu deixar claro para as pessoas que apareciam que nós não iriamos pagar. Teve um que insistiu mas quando eu quase comecei a chorar próximo ao mercado de animais, acho que ele viu que não ia rolar grana xD

Por volta de 15h, ja de volta ao hotel, nos arrumamos para ir passar a noite no deserto. Montamos Abul e Abdulla (nomes que nós demos aos nossos camelos) e passamos a aventura de subir e descer as enormes dunas de areia do deserto do Saara (que descobrimos ser composto de vários ergs). 


Após 1hora montados, chega-se ao acampamento, deixa-se a mochila para escalar as dunas ( boa sorte amigo! Eu somente consegui subir a primeira - e menor- duna porque simplesmente é muito difícil. Comi areia, precisei de ajuda para terminar a subida final. De cima da duna a gente assiste o por do sol - e faz mais amigos xD Fiz amizade com três alemãs que estão estudando na Espanha e a gente desceu a duna juntas de mãos dadas correndo. Foi muito massa! Na segunda vez que fiz isso, no dia seguinte com o Dan, rolei duna abaixo (tem video mas não sou monga de mostrar :p)

Depois dessa aventura retornamos a "barraca principal" onde é servido o jantar (e assistimos os gatos de vigia querendo chegar perto da mesa) e, no meio desse processo escutamos que "a lua ia nascer" e corremos para fora do acampamento. 

O céu estrelado sem sinal da lua. Usamos lanterna e ficamos esperando. Ai, no horizonte no deserto, começou a surgir uma enorme lua cheia. Deve ter demorado uns 10 minutos mas ficamos contemplando embasbacados a mudança no ambiente. A luz da lua era tão forte que era possível enchergar longe no deserto! E o seu ficou lindo. Acho que foi o céu mais lindo que eu vi. Foi a única vez que tive aquele feeling de "estou olhando para o espaço". 

Depois disso, a fome venceu, e retornamos. 

Após o jantar houve uma confraternização unindo todo mundo do tour (umas 25 a 30 pessoas), com tambor e dança e cada grupo de certa nacionalidade cantando uma música. Nós (e daniel c pandeiro) cantamos "mas que nada" e perguntaram se nós eramos cantores no Brasil (ri alto). 

Enfim, nos recolhemos na nossa barraca e "dormimos" até um pouco antes das 6h para ver o nascer do sol nas dunas (que também foi um espetáculo lindo de cores). Dali, nos reunimos na entrada no acampamento para voltar para o hotel nos camelos. 

Obs1. No deserto é muito frio. Tem que se agasalhar muito bem. 
Obs2. Tem areia em tudo, logo se vc pretende dormir, leva uma canga pra forrar o lugar e tal. Eu n consegui (frio e angustia da areia)
Obs3. Banheiro. Mano, é o deserto. Fiquei surpresa de ter vaso! É sujo então vá com isso em mente. 
Obs4. Dependendo do camelo a bunda doi bastante depois do passeio. 





Na volta do acampamento, tomamos café da manhã no hotel e saímos no 4x4 da empresa para fazer o passeio nas montanhas e ter um encontro com os berberes. Foi uma experiência interessante porque tivemos.oportunidade de conversar na moral com os guias e entender melhor a questão política e racial do Marrocos. O preconceito racial lá não é contra negros mas contra os Berberes (antigos nomades) e estes são oprimidos e tem dificuldade de se desenvolver economicamente por empecilhos criados pela maioria árabe (que se localiza mais ao norte do país). 

Pois bem, no retorno ao hotel tudo estava bem mais vazio pois somente eu e dan fizemos o passeio dos berberes. O passeio inclui conhecer as minas, ouvir música creoulla e almoçar em uma tenda berbere. 

Recomendo a empresa tanto para viajantes autônomos (como nós) quanto para quem quer ir com empresa, seja saindo de Marraquexe ou Fez - a empresa faz o transporte e tem serviço de guia nas duas cidades (falam língua portuguesa e espanhola). É mais seguro e tranquilo ir com empresa (embora não seja mais barato). 

Adorei o passeio e recomendo 1 noite no deserto em Merzouga com a empresa Marruecos con tus ojos. 

Até!








segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Viagem: Ait ben haddou / Ouarzazate / Boulmane Dades / Gargantas de Todra

Olá!



Locação de veículo:
Nossa jornada iniciou no aeroporto de Marraquexe, onde nós já havíamos pré reservado  um carro. A empresa que utilizamos foi a Rental cars e correu tudo bem. Nós solicitamos a entrega em local diferente (Tanger, extremo norte do Marrocos) e há cobrança de uma taxa por isso. Também solicitamos condutor adicional. Esses pedidos + 11 diárias deu por volta de R$1200,00 ( para um carro que daria tranquilo 4 pessoas e bagagens, tanto que recomendo a viagem em 4 pessoas para redução de custos).

Multas:
cada um levou a sua por excesso de velocidade. Não se engane gafanhoto, há um policialzinho com aquela fardinha em cada esquina que você passar 4 km da velocidade máxima. Eles possuem um radar móvel e multam mesmo. Custou uns 150 dirham CADA multa x.x E ambas foi por mole/desatenção.

Abastecimento: 
cuidado com o tipo de combustível do veículo.  Eles tem um tipo de combustível diferente lá. Existem bastante postos no caminho mas acho que somente abastecemos 3 vezes -o carro tinha uma boa autonomia.

Estradas: 
de forma geral são ótimas mas admito que alguns momentos meu core apertou com medo de furar um pneu (mas tudo deu certo!).

Nosso roteiro de viagem após Marraquexe seguiu caminho até o Deserto de Merzouga. No entanto, como é bem distante, nós pesquisamos o que havia no caminho e existe MUITA coisa.

Nós ficamos 2 noites em Ait Ben Haddou e 1 noite em Tinghir.

1) Ait Ben Haddou:

(foto pendente do dignissimo namorado passar da go pro)

A cidade construída de barro ficou famosa com a série Game of Thrones pois serviu de cenário para algumas filmagens.

Percurso: nós chegamos no fim da tarde em Ait Ben Haddou apesar de termos saído de manhã cedo de Marraquexe porque o trecho de montanha é bem perigoso e tem muitoooo caminhão.
HospedagemMAISON D'HÔTES NOUFLLA (comentários sobre hospedagem aqui).
Turismo: 1) nós contratamos um guia recomendado pelo Ali, dono do hotel que ficamos hospedados, e foi a melhor coisa para conhecer a cidade murada e saber mais sobre o lugar. O guia nos levou dentro das casas e realmente adicionou muita história. Além disso, a vista lá de cima é LINDA demais! É um passeio para uma manhã inteira.
2) Passeio de quadriciclo no deserto - nós não fizemos porque achamos caro (30 euros) mas nos arrependemos muitoooooooo!!!) Façam porque varia o passeio e deve ser muito divertido. Mais para frente o preço aumenta.
3) Ruínas da Kasbah de Tamedakhte - nós fomos e foi legal maaaas eu passaria tranquilo esse passeio. Achei meio gasto de dinheiro e tempo com gasolina.

Na real, gostei muito de Ait Ben Haddou, a comida do Nouflla é deliciosa e o preço é bom mas acho que eu não teria passado uma 2a noite aqui porque era desnecessário. Valeu dormir no caminho vindo de Marraquexe e passear no dia seguinte de manhã mas daí já era suficiente seguir viagem.

2) Ouarzazate: 

Na verdade nós não passeamos na cidade em si. Nós conhecemos os dois estúdios de cinema que existem nas suas proximidades: Estúdios Atlas e Estúdios de Cinema CLA.

O Cla é mais caidão mas nos deu entrada para ver e andar no castelo que havia acabo de finalizar as gravações do Game of Thrones *. * FOI MUITO DIVERTIDO! (fotos na go pro ainda...)


A única no meu cel :(

Já o Atlas teve um guia nos explicando quais filmes foram gravados em cada cenário e o tamanho das construções surpreende. A visita foi mais longa e valeu bastante a pena.


Estúdios Atlas
Estúdios Atlas




O passeio nos estúdios durou uma manhã inteira. Existem outros locais para visitar próximos a Ouarzazate mas nós tinhamos outros planos para tarde, por isso seguimos para Boulmane Dades. Paramos na cidade de Ouarzazate para almoçar mas o lugar não é nenhuma referência, tanto que não anotei os dados ^^''

3) Boulmane Dades: 

A ideia era fazer essa trilha aí a pé mas estava muitooo frio. Arregamos e fomos de carro até um restaurante/hotel que fica no alto da montanha. Apreciamos um cházinho e assistimos o por do sol.

A verdade é que nós desprezamos a distância entre Ouarzazate até Boulmane Dades AND ignoramos que a pista em certos trechos pudesse ser bem ruim - o que exige uma velocidade moderada.

Mas valeu a parada para esticar as pernas e ver a linda paisagem do lugar.







4) Gargantas de Todra: 


Nós nos hospedamos na véspera na cidade de Tinghir, no meio do caminho até Merzouga. A verdade é que deu um problema tão grave com a hospedagem que haviamos reservado (nós ficamos com medo de ficar no local em razão do comportamento do host). 

Nós saímos de lá pouco depois de chegarmos e procuramos outra hospedagem. A situação foi meio assustadora e por isso na manhã seguinte eu ainda estava meio ... nervosa. Tudo que eu queria era sair de lá. Então nós antecipamos em 1 dia nossa ida para Merzouga e desistimos de fazer a trilha de Todra. 


Contudo, como era meio que no caminho, a gente passou lá para conhecer e realmente o lugar é muito lindo. Nós ficamos lá por mais ou menos 1 hora / 1 hora e meia andando pela montanha e depois seguimos viagem. 

De lá foram mais algumas horas de viagem até Merzouga e o guia da empresa contratada já estava no local marcado esperando a gente para nos levar até o hotel na beira do deserto.

Até Merzouga!

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Cabelo: testei Máscara Amend Cobre Effect

Olá!



Véspera de sair para nossa nova viagem me vi necessitando retocar a raiz mas muito preocupada com o estado do fio pós uso da Yamá (que no final detonou MUITO meu cabelo - post aqui)


Após ser convencida pela Lud de que a Igora não iria detonar e que eu iria ficar incomodada com a "raiz por fazer" saí para comprar tinta e, como sempre, acabei resolvendo comprar um produto novo para testar.

A princípio eu ia comprar o Garota Veneno (máscara tonalizadora que falo minha opinião aqui)  mas a vendedora conversando comigo sobre mascaras tonalizadoras comentou que sentia um ressecamento após o uso do Garota Veneno - algo que eu também havia reparado - e disse que estava usando a da Amend e que tinha um efeito muito melhor. Aíi, já que eu ia pra casa da Lud para pintarmos o cabelo uma da outra, acabei levando a máscara para testarmos (Lud usa Igora 8.77 + intensificador Keune) .

Acabou que a Cath (que não faz nadica de nada no cabelo mas tem habilidades manuais incríveis) se ocupou de pintar nosso cabelo e após tirarmos a tinta eu e a Lud passamos a máscara da Amend - sem paciência de esperar os 20 min recomendados - mas o resultado foi incrível.

Dupla ruiva - Ny e Lud

Já durante a aplicação já dá para sentir a mascara deixando o cabelo bem molinho e, rapidamente, ao enluvar o creme nas mechas, fui sentindo o cabelo sugando o produto e ficando bem macio.

Afora a sensação de cabelo hidratado, olhaaa essa cor.
O da Lud 
o meu






















Sim, fica mais escuro que o Garota Veneno mas não tem o avermelhado que as acobreadas sempre reclamam. Eu A-D-O-R-E-I o tom que ficou o cabelo, consciente de que já vai dar aquela quebrada na primeira lavagem mas eu gosto muito desse efeito desbotamento porque o desbotamento da Igora é muito lindo - a cada tom que fica eu gosto mais.

Acredito que essa é, a princípio, a melhor máscara tonalizante que eu já usei em termos de tratamento do cabelo (a única que eu usei para tonalizar e senti o cabelo realmente brilhante/forte/hidratado após o uso). RECOMENDO!

O desbotamento vocês poderão acompanhar nos futuros posts nas fotos da próx. viagem.

Até!



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Viagem: roteiro Marraquexe (2 dias)

Olá!

Praça Jemma El Fna
Hospedagem: Dar Tasmine (comentários sobre hospedagem aqui)
Transporte: há uma linha de ônibus regular que realiza a transferência do aeroporto até o centro da Medina (do lado da Praça Jemma El Fna). Não é caro mas se você estiver em mais de 2 pessoas talvez compense negociar um taxi. NÃO deixe pré acordado com o hotel/riad porque existem várias histórias de cobrança abusiva desse serviço de transfer.
Atrações vistas: Saadian tombs, Jardim Majorelle, Palais de bahia, Museu de Marraquexe, Madraça Ben Youssef e Praça Jemma El Fna.
Atrações que não consegimos ir: tem como esquiar próximo a Marrakesh, tem uns museus menores e uns outros jardins.
Moeda: Dirham (levar dólar ou euro para fazer o câmbio). Nós levamos euros e trocamos no aeroporto mesmo. Encontrei na internet pessoas falando de uns lugares na medina para trocar dinheiro mas preferimos não fazer isso.
Segurança: cuidado com crianças ou pessoas que se oferecem para te levar até determinado lugar. São falsos guias e existem relatos de pessoas que levaram turistas para determinado lugar e exigiram dinheiro para levar de volta. Na dúvida, pergunte para alguém na rua e a pessoa te indica as direções (ninguém fala para seguir).
Restaurantes recomendados: Taj'In Darna e Kosy Bar.

Nosso roteiro em Marraquexe foi de 2 dias de passeio, sendo que perdemos metade de um dia na chegada.


12:50Chegada MARRAKECH
-Pegar BUS linha 19 e saltar próximo a Arset El Bilk
-10 min até o Dar Tasnime
Imigração é rápida, sem muita burocracia
14:00Chegada ao hotelDar Tasmine
15:30-Saadian Tombs (2h) - 9 às 16.45 - 10 DHM
-Passear nos souks (mercados)
Noite-Praça Jemma El Fna + Jantar restaurante na praça - Taj'In Darna
08:30-Jardim Majorelle (1h) - 08:00 às 17:30 - 30 DHM
-Palais de La Bahia (1h) - 09:00 às 16:30 - 10 DHM
-Palácio El Badii (1h) - 08:00 às 17:00 - 20 DHM
Tarde-Madraça Ben Youssef (2h) - 8 Às 17h - 20 DHM
-Museu de Marrakech (1h) - 9 às 18:30 - 50 DHM
Almoço no restaurante Kosy Bar
Noite-Praça Jemma El Fna (2h) - aberto 24hJantar nas barraquinhas na praça + Taj'In Darna


Saadian Tombs:

É Um passeio que poderia ser dispensado (por falta de tempo) pois diferente do previsto, nós ficamos apenas 30 minutos no local.  


E não porque ão seja interessante e tudo mais mas porque ele fica mais distante das demais atrações e não tem muito o que ver/fazer. Tem sua importância histórica e tudo mas eu cortaria. 

Na real a gente somente foi porque era a única coisa que dava tempo para fazer naquele dia. 


Os Souks:
no Souk
Na volta das tumbas fomos caminhando dentro do mercado (a cidade É um grande mercado) e nisso fomos pegos pela conversa de um vendedor muito educado e acabamos "ganhando" nossa primeira disputa = o sistema de oferta de produtos e preço é diferente no Marrocos. 
Você diz quando quer pagar pelo produto e o vendedor vai jogar um preço muito maior. Se bobear você paga até 1/2 do valor proposto pelo vendedor inicialmente. 

Eu saí com a sensação de que devo ter pago muito caro por esse lenço (e o vestido que acabei comprando para combinar) mas como o preço pago foi o que eu determinei no final, saí todaaaa alegre porque "ganhei". O bad feeling só veio depois quando comecei a achar que um pedaço de pano simples pintado não devia custar 40 reais (100 dirham):p 

Praça Jemma El Fna

A noite na praça Jemma El fna
Terminamos o primeiro dia na praça Jemma El Fna - o coração de Marraquexe, o caus se Marraquexe e o lugar mais lotado de gente te enchendo o saco do Marrocos. Ah, também tem o encantador de serpentes e dá para ver um por do sol lindo. 

Pode parecer frescura mas tudo que há de mais diferente no choque cultural rola nesse meiuco. Culinária das barraquinhas (vale por experiência mas não por preço ou qualidade da comida. Passei raiva numa barraquinha dessa porque o cara reclamou do que pedimos - comida barata ¬¬ ) 

As pessoas de abordam grosseiramente para te vender tudo. Te cobram para bater fotos, te cobram por assistir uma exibição pública e, se der mole, agarram sua mão para fazer um desenho (correndo e na marra) para depois te cobrarem. 

Mas não é a merda que parece. Nós fomos 2x a noite na praça para ver o por do sol. Na primeira vez eu estava muito assustada porque a abordagem dos vendedores era muito agressiva. Além disso as pessoas (leia-se homens) estavam me secando o dia INTEIRO e estava muito desagradável a situação - e eu estava com calça de taktel e casacão hein. 

Na segunda noite deu para curtir mais. Em ambas as noites, apesar de haver bastante opções de restaurantes na cidade, nós preferimos o Taj'In Darna que é localizado perfeitamente ao lado do caus da praça sem que você sofra com o caus da praça. Atendentes educados, comida muito bem servida, preço razoável e ainda tem um terraço ótimo para ficar vendo o movimento da praça tomando um chá. O por do sol na praça é muito bonito. 

Uma das melhores refeições no Marrocos ( Taj'In Darna)
s2 
Localizado na praça Jemma El Fna (pra quem não curte comer no furdunço) 
Terraço do Taj'In Darna

Jardim de Majorelle:


Jardim de Majorelle
No segundo dia nós optamos por ir caminhando do Riad até o Jardim de Majorelle para conhecer a parte nova de Marraquexe (externa as muralhas).

Foi uma caminhada agradável e deve ter demora uns 30 minutos. Não houve assédio de vendedores nem nada (um alívio).

O lugar é muito agradável. Tem uma grande diversidade de plantas e árvores. É bom pra dar uma descansada e eu recomendo muito ^^






Nós negociamos um táxi para ir para o nosso próximo destino, o Palácio da Bahia, em 25 dirhans. SEMPRE negocie tuto no Marrocos!!!!

Palácio de La Bahia:

(foto no futuro quando o distinto lindo passar as fotos da gopro :P)

Acho que um dos passeios que eu mais gostei foi o Palácio de La Bahia porque dá aquele impacto cultural porque a decoração dos prédios é completamente diferente da que estamos habituados. O teto tem várias camadas diferentes - que não se repetem em outros cômodos.

Há um trabalho detalhado para cada cômodo e o tamanho deles surpreende. É enorme e lindo!

A uma hora reservada para essa atração foi insuficiente e eu recomendaria pelo mais uns 30 minutos (nós ficamos 1h e meia).

Almoço = Kozy bar - do lado do Palácio Bahia e no caminho para o Palácio El Badi em uma praça - o restaurante possui um terraço e serve uma comida boa (simples. Não é tão barato (lugar turístico né) mas acho que pela localização e (principalmente) por se distanciar da rua (leia-se assédio)  eu recomendo para quem estiver fazendo esse roteiro. Dá para dar uma descansada e apreciar a vista.

Kozy bar - ótima combinação para o Palacio Bahia e Palacio El badi. 

Palácio El Badi: 

(foto no futuro quando o distinto lindo passar as fotos da gopro :P)

Em verdade são as ruínas do antigo palácio. Achei incrível a vista que pode-se ter de uma das torres e o tamanho de umas piscinas que existiam no meio do palácio e irrigam uma vegetação interna.

E é engraçado porque existem vários pássaros enormes (não me lembro o nome agora) fazendo ninho nas torres e lugares altos da cidade - inclusive nesse palácio. Aí tem aquele coro no fundo de todo o passeio - não chega a ser desagradavel.

A curiosidade do lugar é que ele foi utilizado na gravação do filme "A múmia".

Museu de Marraquexe:



O Museu de Marraquexe não era o que nós chamaríamos de museu. Na verdade é uma antiga casa de de pessoa que foi muito influente em Marraquexe e que hoje em dia abriga diversas obras de artistas contemporâneos.

Existem exposições de alguns objetos antigos mas o foco mesmo é ir ver o prédio do museu - que é lindo e ricamente decorado.

Acho que vale a visita com cabeça de que você esta indo ver um prédio e que tudo mais é brinde. xD

Madraça Ben Youssef:

Madraça é uma escola para estudar o corão. O prédio em si é interessante - já que essa é uma das madraças mais antigas do Marrocos - mas não tem nadaaa demais. Na verdade, deve-se tomar cuidado pois no dia que fomos existiam pessoas NA PORTA do lugar dando informações de que o local estava fechado e forçando a pessoa a ir para outro lugar com ele.

Nós conseguimos nos desvencilhar e descobrimos depois que o local estava aberto (e que essa prática é comum no local!!!)

No caminho de volta nós começamos a realizar algumas comprinhas e seguimos andando calmamente até a Praça. Neste dia eu aproveitei melhor o lugar - com menos medo, tranquilizada de que não há histórico de violência nos centros e no Marrocos de forma geral.

 Na manhã seguinte nós retornamos ao aeroporto para pegar o carrinho que nos acompanharia em nossa viagem mas esse relato fica para o póximo post: Ait ben haddou / Ouazazate / Dades / Todra.

Até!

Livros: a verdade sobre o caso Harry Quebert

Olá!


Esse foi um dos melhores livros que li nos últimos tempos (o melhor desse ano!)

Peguei ele emprestado com a minha boa-drasta Edna quando fui em Junho em Brasília com vários comentários bons, tanto dela quanto do meu irmão, elogiando a forma que foi desenvolvida a personalidade do protagonista (a busca dele em sempre se destacar, não importa o esforço).
Quando peguei o livro tinha na cabeça que a história teria foco nisso. Eu estava enganada.
O livro trabalha: a vida e desenvolvimento do protagonista (Marcus Goldman, jovem escritor), a história do livro mais famoso de seu mentor (escritor de meia idade chamado Harry Quebert), a história sobre o escritor Harry Quebert e, por fim, a história sobre o desenvolvimento de investigação judicial que iniciou com a morte de uma jovem na década de 70 e permanece sem solução até então.

O autor deste Livro é um cara brilhante por diversos motivos (história bem fechadinha) mas também achei genial a dedicação em desenvolver a personalidade de personagens secundários envolvidos na trama pois conseguiu explorar a dificuldade que se tem em formar a opinião sobre alguém com apenas um encontro. Muito interessante mesmo!

Sugiro a leitura. Sugiro mesmo! Pra qualquer pessoa - pq acho dificil a narrativa, da foema que foi feita, não interessar. E, principalmente, sugiro a leitura para aqueles que gostam de uma boa investigação e que ficarão chocados com suas conclusões e consequências.

Ótimo livro! Tempão ja passou e ainda fico pensando xD segurei o post para ver se minha opinião sobre o livro mudava mas somente melhorou ^^

Até!

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Cabelo: usei Yamá 7.4

Olá!



Não encontrei a Igora 7.77 em terras capixabas. Aíi jurava que tinha ainda meio tubo do estoque que comprei no Rio mas quando chegou na hora H, cadê? Revirei as coisas e não achei.
Raiz enorme e evento da família do namorado (que ama fotos) bateu aquele desespero e a tinta com tom mais próximo que achei foi a Yamá 7.4


Eu já testei antes essa tinta mas simplesmente não lembrava o que eu não gostava muito dela. Apenas lembrava que a Yama e a Yellow ressecavam muito o cabelo e não era uma opção. (post aqui)

Yama é a branca e a
marrom é o mix 0.77 da Igora
A OX era da Yamá também que eu comprei o litrão profissional com semi di lino, que já tinha falado aqui em outro post.

E o resultado da cor foi maravilhoso!!! Fiquei chocada como ficou por igual o tom do cabelo e a sobrancelha também. Tava puroo amor e eu estava super feliz.

Aíi, duas lavagens depois (aqui você esta esperando eu falar do desbotamento)...

Desbotamento zero. A cor continua linda e maravilhosa.


Única foto (encontrada até o presente momento) após as lavagens.
Parece escuro mas o tom esta perfeito de acordo com o
comprimento pré tintura. 

Tá, então qual é o problema??

Eu havia me esquecido de alguns detalhes sobre o produto: ele arde meu couro cabeludo durante a aplicação, o cheiro no cabelo fica bem ruim depois da aplicação (nada tira), resseca o cabelo (que eu minimizei com umectação e hidratação e quebrou os fiozinhos "rebeldes" da frente do cabelo (eis ai o problema).





A verdade é que acho que a química da tintura da Yamá (e a Yellow era a mesma coisa) é mais invasiva mesmo contra o cabelo e por isso não recomendo o uso dessa tinta para as meninas que como eu tem outra química, além da tintura no cabelo (no me caso a progressiva).

De toda forma, na emergência SUPER vale usar a Yamá e deixar menos tempo mesmo, hidratar bastante o cabelo ANTES de aplicar a tinta (algo que eu não fiz).

Até!!!

PS: A proxima aventura vai ser com o lançamento da Beauty color - Missão achar o tom da Igora, já que não acho ela em Vitória xD

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Livros: As crônicas das Irmãs Bruxas II e III

Olá!






Esse post irá se dedicar a falar sobre os volumes 2 e 3 da trilogia Crônicas das irmãs Bruxas. Para ler a crítica do vol. 1 - Enfeitiçadas, clique aqui.

ALERTA! CUIDADO! ATENÇÃO!

Prezadas e Prezados, eu gosto de escrever de forma livre minhas opiniões sobre livros e outras coisas então não estou afim de ficar me podando para não mandar Spoiler. Logo, se você não quer saber de algo sobre a continuação dessa trilogia PARE AGORA de ler esse texto.

Amaldiçoadas

Eu super admito que apenas saquei que o livro Enfeitiçadas tinha continuação quando terminei o livro e vi que tinha umas páginas a mais e... Ahhh tem história d Cate no convento *oh my godiii* xD
Li esse trechinho na velocidade da luz e saí correndo para arranjar o livro todo para ler logo.

A verdade é que o fim do livro 1 me pegou desprevenida. Eu não esperava que ela sacrificasse tudo e fosse pro convento por causa das irmãs. Mais ainda, não esperava que ela não explicasse nada pro coitado do Finn - depois dele ter feito tudo que combinou com ela.

Mas aí a história se desenvolve dentro do que eu esperava. O Finn parece que ta cagando para ela - mas não esta - e depois dos momentos de tensão eles estão de volta s2 e aí é super fofo e eles unidinhos para proteger a Cate e as meninas.

A vilã da história e a boazinha toda poderosa frágil em oposição no convento me soou muito como clichezão - sorry, mas  realmente achei mega previsivel. Pior é que por razão alguma a Cate do nada confia na boazinha mas continua meio que se colocando na mão da OBVIAMENTE mana do mal.

Enfim, achei interessante ter rachado o convento entre as partidárias e principalmente o desfecho da história - cada lado fazendo o que achava correto. Coerente com a personalidade das personagens - e mesmo com a suscetibilidade a manipulação destas.

Mas acho que o que me surpreendeu mais foi ambas as missões "darem certo" e quem se fodeu de novo foi o relacionamento Finn e Cate. Genteee, acho que nunca vi um romancinho acabar de um jeito tão triste para um dos lados sem que tenha existido morte nem traição (dos envolvidos). Chocada com a maldade da Maura - aquela vadia traidora.

Mas uma crítica relevante: a Maura é descrita como a mais bonita, a mais agradável para os outros e a mais incontrolável. Contudo, é exatamente ela que se torna a boboca manipulável e fraca no convento. Tem momentos que eu tenho raiva dela mas em muitos momentos me dá raiva da Cate que SABE que estão se utilizando das brigas entre elas para ganhar poder e mesmo assim ELA CAI nessa.

====>>> Tá, depois que a Maura cagou no pau apagando a memória do Finn eu larguei de mão  e interiorizei que ela iria se dar muito mal no final das contas se afastando assim das irmãs e SABENDO do conteúdo da professia <<<====

Predestinadas: 

A ida para o último volume da série foi com bastante resistencia. Eu tentei ao máximo prolongar a leitura. Simplesmente não queria que o livro, a histórias, a magia acabassem.

Nesse volume a irmã mais nova Tess ganha muito mais destaque - afinal ela é o oráculo e agora todo mundo sabe disso. O que fazer com um bichinho de 12 anos, morrendo de medo de ficar louco, cheio de poder e tendo várias visões (francamente, muito previsíveis)?
Lógico que a irmã Inez, vulgo nossa antagonista, usou de todas as artimanhas que podia para separar ao máximo as 3 irmãs.
Nesse livro cada uma fica com seu grupo: Maura se alia a uma das resgatadas cheia do odio no coração de Harwood, Tess tenta mostrar que é muito madura e independente se afastando de Cate, e a Cate mostra que é uma mulher do cacete: mesmo com o coração quebrado por saber que o cara que ela ama (e ia casar) não lembra dela, a vida continua, existem prioridades e uma futura guerra contra as bruxas na esquina. Ela não pode ficar assistindo e de braços cruzados!

E a Cate mostra que é exatamente a protagonista corajosa do inicio da trilogia: se arrisca, vai atras, faz alianças e abre mão das vontades dela muitas vezes em prol do bem maior - segurança das irmãs/gente pobre e doente/ bruxas.

E achei coerente o fim do livro - não tudo, fiquei bem incomodada com a aceitação OFICIAL das bruxas na sociedade. Nada contra pessoal mas ficou MUITO forçado! Pessoal tava tacando fogo ontem nas bruxas. A simpatia pode brotar em certas pessoas pela ajuda no incêndio mas não a ponto de irem para o outro extremo. Acho que valia o Sean Brennan ter falado: farei o possivel para a aceitação pela sociedade da existência de vocês e para modificar a má impressão criada pelos irmão. Já era uma ótima!

O que eu falava sobre coerencia foi sobre a Cate e o Finn xD After all, o cara não lembra de nada mas esta se apaixonando de novo por ela mas isso não significa que eles já vão agora casar e tudo mais. Não, a Cate na moral nem tava pensando nisso xD Pensando em ser enfermeira e tudo mais. Eu achei ÓTIMA essa parte - não me lembro de uma protagonista parecer se importar mais com outras coisas que o seu relacionamento.

Por isso: PALMAS ALTAS para a escritora Jessica Spotswood por criar uma história que mesmo passando por cliches inescapáveis CONSEGUIU fugir dessa obrigatoriedade de colocar a mocinha ansiosa pelo casamento com o galã. A protagonista é sem graça e tudo bem. Ela podia ter escolhido o galã e escolheu o nerd. E tudo bem tudo isso, porque no final das contas, mesmo quando ele se esqueceu dela, ela CONTINUOU VIVENDO!!! Porque é assim a vida!

OK. Eu realmente gostei muito mesmo dessa trilogia e recomendo muito muito muito mesmo.

Agradeço ao pessoal do livros viajantes II por ter me aceito no grupo e me feito encontrar essa trilogia - cuja a capa e sinopse me afastaria.

Pessoal: vençam os preconceitos dos títulos dos livros, da capa com carinha de livro de menininha e sinopses vagas. Os livros SÃO bons.

Até!